Seriemaniacos

As melhores séries de 2015

Destaque-as-melhores-series-de-2015

2015 se foi – ainda bem e deixou um gostinho de saudade – em relação a séries. Então fizemos uma retrospectiva para elegermos as melhores séries de 2015 enquanto aguardamos suas continuações para matarmos a saudade. Já adiantando que não incluímos Narcos. Puta série chata! Desculpe!

As melhores séries de 2015 -1° Lugar –  Sense8 – 1º Temporada

Sense8

Ano de Produção: 2015
Direção: Andy Wachowski, Dan Glass, James McTeigue, Lana Wachowski e Tom Tykwer
Episódios: 12 episódios
Gênero: Drama Ficção
País de Origem: EUA

Em nenhuma outra série (talvez em Fargo) vi tanta ousadia resultar em um produto final tão bom.
Oito personagens espalhados pelo mundo que se comunicam telepaticamente? Nada inovador se não fosse o ponto chave que é a personalidade de cada personagem.
Cada um dos oito possui algo que precisa ser desenvolvido, libertado ou conquistado. Questões psicológicas e sociais pairam a série o tempo todo. A luta por aceitação sexual, as imposições culturais e religiosas, a fuga do controle
do poder autoritário, etc. Experiências, filosofias e crenças são trocadas em busca de uma solução comum.
Resumindo: é uma série de reflexão, dramas, lutas – literalmente – e sexo.
Já estamos todos aqui cantando Whats Going On, a nossa genki dama cinéfila esperando pela segunda temporada.

 

 

As melhores séries de 2015 – 2° Lugar –  Marvel’s Jessica Jones – 1º Temporada

destaque-jessica-jones

Ano de Produção: 2015
Direção: Bill Gierhart, David Petrarca, Rosemary Rodriguez, S. J. Clarkson, Stephen Surjik e Uta Briesewitz
Episódios: 13 episódios
Gênero: Ação Drama Policial
País de Origem: EUA

É uma série que divide opiniões. Creio que até pelo fato de ser um quadrinho um pouco fora do comum e no ano
de 2015 tivemos muitas séries do gênero (Gotham, Marvel’s Daredevil, The Flash). Mas é exatamente por
isso que a considero tão boa. Em nossa análise detalhamos todos os pontos para essa escolha de segundo lugar. Vemos uma série mais madura, assim como foi O Demolidor, mas que conseguiu encaixar melhor
o desenrolar em 13 episódios do que a parceira Marvel. Soube manter o clímax do início ao fim.
Jessica é só uma mulher com superpoderes, isso não muda o fato de quem ela é como cidadã e nem faz dela
a salvadora da humanidade. O vilão também é mais real, não é nenhum “monstro” ou coisa do tipo. Essa pegada
mais humana era tudo que eu sentia falta no mundo dos quadrinhos e Jessica veio para preencher esse vazio.

 

 

As melhores séries de 2015 – 3° Lugar – Mr. Robot – 1º Temporada

mr-robot-citacoes-cinefilas

Ano de Produção: 2015
Direção: Jim McKay, Niels Arden Oplev e Sam Esmail
Episódios: 10 episódios
Gênero: Drama Suspense
País de Origem: EUA

Em primeiro momento eu fiquei com uma certa dúvida sobre essa série, mas depois entendi. Ela era para ser um filme que acabou virando uma série e como série demanda mais tempo que um longa, os primeiros episódios acabaram ficando longos até demais e a construção ficou extremamente maçante. Mas isso só até a metade. Depois,
a maioria das conclusões que você criou vão cair por terra. O mundo nerd ganha um aspecto mais Dexter misturado com Clube da Luta e parece um dos filmes de David Fincher com uma pegada Godard (ABAIXO O CAPITALISMO).
Ela é bastante reflexiva sobre nossos hábitos e principalmente sobre a imersão online.

 

 

Posts Relacionados