Extras

Birdman ou A Inesperada Vitrude da Ignorância (Birdman or The Unexpected Virtue of Ignorance, 2014) – Alejandro González Iñárritu

Birdman foi um dos melhores filmes de 2014 e levou quatro estatuetas para casa, merecidamente.

Birdman era um filme que necessitava ser produzido e Alejandro González tomou partido dessa missão. Como
em outros de seus filmes (Biutiful, Babel, 21 gramas), ele consegue unir entretenimento, drama e uma análise psicológica profunda de seus personagens. Sempre há um ‘porquê’ diante da crosta superficial. Em Birdman é o ego inflado das personalidades do meio artístico.

Oscar 2015 – Birdman

  • Melhor filme
  • Melhor diretor (Alejandro Gonzáles Iñárritu)
  • Melhor roteiro original (Alejandro G. Iñárritu,Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando Bo)
  • Melhor fotografia (Emmanuel Lubezki)

 

Executado em plano sequência, quase não nos damos conta dos cortes. Na real quase não nos damos conta
de nada a não ser que é um filme foda. Somente quando acaba você é capaz de ir digerindo tudo aos poucos.
A música intensa, uma batida de bateria frenética e fantástica, unido ao humor negro do roteiro e um elenco incrível: Edward Norton, Emma Stone, Michael Keaton. Elenco qual só não levou nenhuma estatueta porque Eddie Redmayne em A Teoria de Tudo não deixou e realmente não poderia ter sido diferente.

Birdman-Keaton

 

Veja mais sobre o plano sequência de Birdman: http://goo.gl/uSRvvK

 

Na trama Riggan é um icônico-ator que interpretava um famoso super-herói que após muitas franquias encerra contrato. O que acontece é que Riggan não quer mais ser um ícone, não quer mais ser conhecido como o homem-pássaro, ele quer ter um papel mais participativo, levar algum conteúdo pensante as pessoas e ser reconhecido como tal. Então, resolve escrever uma peça para a Broadway, mas o espaço se mostra tão “pobre e vazio” quanto o mundo de Hollywood.

A semelhança entre Michael Keaton e seu personagem Riggan Thomson é bem interessante. Keaton em seus últimos papéis também representou heróis icônicos, como Batman e Robocop. O que me leva a pensar que o protagonista foi escolhido com um propósito claro e direto para interligar ficção e realidade. Aliás, outro ponto interessante foi que quase tivemos também a presença de Johnny Depp na cena final, interpretando a si mesmo com um cartaz ao fundo de Piratas do Caribe 5, o que não aconteceu porque a Disney não liberou e o ator também não concordou com a ideia. Outro ator “em decadência” após a infinita franquia de Piratas do Caribe.

birdman-Emma-Stone-2014

Riggan Thomson está vivendo um vazio existencial completo. Ele acredita que precisa de fama, ser notado, precisa de flashs e de atenção, voltar a ser quem era. Mas fama é relativo. Após a sua decadência nos cinemas, o que lhe sobrou? Hollywood não precisa mais dele. Hollywood cria ícones descartáveis. Dificilmente ela necessita de grandes atores, basta partir para o estupefato – com algumas exceções que de fato possuem um roteiro descente e não estão preocupados apenas com o número de bilheteria. É difícil de achar um bom filme americano com um roteiro bem escrito, longe da idolatria americana ou os romances previsíveis.

As análises são múltiplas. A cada decupamento podemos nos deparar com um novo detalhe. O mais irônico foi a Academia não só aplaudir de pé, mas premiar Birdman. É uma crítica pesada a esse mundo podre que movimenta milhares e milhares de dólares.
O cinema é rico, capaz de mudar pensamentos, influenciar atitudes, belo, poético e encantador. O cinema é um sonho que Hollywood destrói lentamente, com seus heróis, mocinhos e salvadores do dia 04 de Julho. Mas ainda bem que existem as exceções e Alejandro González está entre eles.

 

Posts Relacionados