Sessão Cinéfila

Boys (Jongens, 2014) – Mischa Kamp

Boys demorou muito para chegar aos cinemas brasileiros. Foram necessários dois – longos – anos de espera, para que por aqui, também pudéssemos apreciar toda beleza visto aos olhos gentis da diretora Misha Kamp

O filme conta a história de dois garotos que estão descobrindo a sexualidade. Sieger (Gijs Blom) tem 15 anos de idade e está em fase de treinamento no time de atletismo do colégio. Mas toda a sua rotina mudará com a chegada de Marc (Ko Zandvliet). Ambos embarcam em uma aventura pessoal de auto descobrimento, até o aflorar os sentimentos mais belos e genuínos, o amor. 

Logo no primeiro contato percebemos a conexão entre ambos. A curiosidade dos olhares, o começo daquele sentimento que não sabemos ao certo do se trata, mas já há um certo frio na barriga. Vemos então o nascer das primeiras faíscas, a curiosidade cada vez mais aguçada, que passará pela aceitação desse sentimento, até a sua total entrega através dos primeiros contatos e por fim, do primeiro beijo. 

Sieger é mais contido que Marc e é naturalmente compreensível. Nessa idade temos muito medo do desconhecido. Ficamos blindados de sentir determinados sentimentos pela falta de compreensão social e dos colegas mais próximos. O machismo presente desde cedo em garotos e essa dificuldade de aceitação.  

O primeiro beijo é simplesmente sublime. O toque delicado, misturado com o olhar ausente de maldade e desejo carnal. O que vemos ali é simplesmente o desejo de estar ali, de existir e de possuir por completo. Por conta disso, Boys é mais um filme na multidão de relação homoafetiva entre adolescente e ao mesmo tempo não é, ele consegue se destoar em meio a extensas filmografias do gênero. 

É um roteiro que possui suas obviedades, não surpreende, mas nem por isso ele não tem valor. A delícia está em acompanhá-lo juntamente com os dois garotos que estão se descobrindo e por  muitos momentos você estará ali, em cena, fazendo parte disso tudo. Por que você irá colocar seus sentimentos em jogo e se colocar no lugar de Marc ou de Sierge e então sentirá todo o encantamento dos olhares. Sentirá a relação bela, gentil e afável. A celebração de puro amor que é o filme. 

 

 

Trailer – Boys (Jongens)

 

 

Posts Relacionados