Sessão Cinéfila

Julia Roberts te ensina em Comer Rezar Amar

eat-pray-love-citacoes-cinefilas

Julia Roberts te ensinará muito nesse filme, coisas para se levar para um vida inteira, então se você o viu apenas uma vez, entendeu e absorveu todos os seus recados, parabéns, você se tornou uma pessoa melhor. Caso contrário, vale a pena ver de novo. O filme é de 2010 e é dirigido por Ryan Murphy.

Em busca do equilíbrio, Julia Roberts se aventura e nos ensina algumas coisas que esquecemos pelo caminho.

Primeiro ela come sem culpa de quem tem a liberdade de ir a uma loja e comprar uma calça de número maior. Não há culpa em se ter aquilo que os olhos desejam e a alma feliz agradece. Porque beleza é expressa em um sorriso de quem vive sem o peso de ser feliz.

Descobre que não se define alguém pela sua profissão e sim por uma palavra que resume toda a essência de ser quem se é – sempre confundimos essa resposta e sempre sentimos dificuldade em respondê-la.

comer-rezar-amar-cena-do-filme

Julia Roberts faz bem seu papel em abrir horizontes 

Quebra tabus maxistas de que uma mulher pode sim buscar o que deseja e estar bem por estar só e estar só por opção, nada tem a ver com tristeza ou solidão e muito menos diz sobre nossa opção sexual. No meio do filme uma senhora pergunta: “mas qual o problema dela? Ela é lésbica?” E prontamente vem a resposta: “se fosse um homem tudo pareceria normal”. Somos livres para nos aventurar por qualquer canto, conquistamos a liberdade a muito tempo – aventurem-se, mulheres.

Medita para compreender o valor do silêncio e que o pensar demais nos leva a culpas que não precisamos carregar. Sentir e depois se perdoar, é a melhor forma de evoluir:

– eu sinto saudade.
– então sinta.
– eu ainda te amo.
– então ame.
– sinta, emane todo o amor que puder e depois esqueça. Tudo na vida passa.”

Aprende o prazer da simplicidade. Tomar um sorvete. Andar de bicicleta sem se preocupar com as horas. Realizar o sonho de outro sem pretensões financeiras ou de troca, mas pelo prazer de ver uma criança chamando um cantinho de lar. Fazer amigos pelo caminho, em uma troca que deixemos algo neles e eles em nós.

E no caminho descobre que quando se está bem consigo mesma a vida nos leva a caminhos inesperados. E que quando o assunto é o amor, os ensinamentos sobre equilíbrio entram em uma exceção da regra e tudo que precisamos fazer é nos jogar:

perder o equilíbrio por amor, faz parte de ser ter uma vida equilibrada”.

Esse filme deveria ser um dos itens do Kit de Sobrevivência – é do meu, ao menos. Você deve se desprender de todos os seus aparatos técnicos e cinematográficos que podem fazer dele um filme de qualidade mediana, porque o que importa é que a Julia Roberts em toda a sua beleza e elegância emana, são ensinamentos valiosos.

É melhor ser alegre do que ser triste. Felicidade é a melhor coisa que existe”.

 

PS: apesar do trialer abaixo dizer que está em exibição nos cinemas, não está não, é uma publicação antiga, mas em compensação tem no Netfix 😉

Posts Relacionados