Resenhas

Crítica | Mother! Pertubador, instigador e completamente realista

Abstive-me de ler qualquer opinião sobre Mother! antes de assisti-lo. E sinceramente se você ainda não assistiu, aconselho fazer o mesmo. Você, como eu, ouvirá diversas opiniões soltas, tanto para o bem quanto para o mal. E nesse mar de contradições não existe certo ou o errado, é apenas interessante você conseguir tirar suas próprias conclusões com a cabeça clara, sem nenhum tipo de interferência. 

Logo de cara, me declaro parte do grupo que achou Mother! simplesmente fantástico. Até me arrisco dizer que é um filme visceral e um retrato claro de nossa sociedade. Mesmo diante das diversas interpretações e analogias – iremos discorrer melhor sobre elas – o tempo inteiro estamos diante da confusão social que vivemos atualmente. Destruição da natureza, de tudo que nos é primordial e a autodestruição do semelhante. Não nos fazemos bastante nunca com o que temos e cada vez mais envoltos em ganância, inveja, afloração do ego através de redes sociais e tanto outros artifícios “modernos”.

Outra interpretação é a analogia bíblica da representação de Adam e Eva imersos no paraíso que é tomado deles por fatores externos. O filme inteiro se passa sem ser dito o nome de seus personagens, representados por (Jennifer Lawrence e Javier Bardem) o que já demonstra ser muito mais que simples entretenimento e que há analogias presentes nele o tempo inteiro.

Podemos dividi-lo em duas partes. A primeira a apresentação da idealização, construção do ideal, até a destruição total em uma segunda parte, após a visita inesperado de vizinhos misteriosos. Darren Aronofsky trabalha brilhantemente a direção de Mother! O cuidado com o roteiro e a direção de arte que estão completamente impecáveis. A condução da emoção através dos artifícios de câmera, sempre trabalhando planos bem fechados, focalizando completamente no rosto de Jennifer Lawrence – que atingi um outro patamar de atuação, de forma brilhante – e em momentos mais caóticos a câmera acompanha a atriz de forma circular representando a falta de controle total, dando ritmo a cada cena.

Se você tem um estômago um pouco fraco, é melhor se preparar para cenas perturbadoras. Ouvi opiniões ao sair da sala de cinema que era um filme nojento, aversivo e que causava muitos arrepios. E eu achei ótimo. Quando estamos diante de algo que nos é incomodo somos levados a ter uma reação, seja através do choque, do horror e da reflexão e sinceramente acho difícil você sair da exibição sem ao menos refletir minimamente e fazer uma paralelo com a nossa atual sociedade.

Aqui não importa muito se a média está mais para “gostei” ou para o “não gostei”. Mother! deixa uma reflexão muito interessante e necessária e eu acho difícil você sair da sala de cinema sem nenhum desconforto em relação a tudo que viu e que se esquive de discutir, porque é tão intrínseco em nós, que ele vai mudar algo em você, pelo menos mudou algo em mim. 

 

Trailer Mother!

 

Ficha Técnica

Direção
Darren Aronofsky

Equipe técnica

Roteiro: Darren Aronofsky
Produção: Ari Handel, Darren Aronofsky, Scott Franklin
Fotografia: Matthew Libatique
Trilha Sonora: Jóhann Jóhannsson
Estúdio: Protozoa Pictures
Montador: Andrew Weisblum
Distribuidora: Paramount Pictures Brasil

Elenco

Amanda Silveira, Amanda Warren, Andreas Apergis, Brian Gleeson, Courtney Shannon Caines, Domhnall Gleeson, Ed Harris, Eric Davis, Genti Bejko, Javier Bardem, Jennifer Lawrence, Jovan Adepo, Julien Irwin Dupuy, Kristen Wiig, Laurence Leboeuf, Marcia Jean Kurtz, Michelle Pfeiffer, Mizinga Mwinga, Pierre Simpson, Robert Higden, Ryan Derange, Ryan O’Hagan, Scott Humphrey, Stefan Simchowitz, Stephen McHattie

 

Posts Relacionados