Sessão Curta

O Balão Vermelho (Le Ballon Rouge, 1956). Um curta-metragem atemporal

O Balão Vermelho em título original Le Ballon Rouge é um curta-metragem dirigido por Albert Lamorisse, composto de 34 minutos. Apesar de ter sido lançado em 1956, ele ainda é capaz de emocionar e encantar como se fosse a primeira vez. E eu sei que isso ainda irá perdurará por muitas e muitas gerações cinéfilas porque ele é uma poesia atemporal. A sua narrativa delicada cresce dentro de nós. As falam voam e quase que desaparecem por completo, dando lugar as imagens acinzentadas de Paris e reluzentes de um vermelho pulsante. A sua essência é a esperança da beleza de uma vida simples e gentil. Com poucos recursos em um bairro pobre no anos 50, Pascal encontra um balão vermelho e faz dele seu amigo e companheiro de todos os momentos do dia, enquanto aprecia a bela Paris. Diante da correria desgastante, o impacto de uma cor tão viva deveria causar encantamento, mas pelo contrário, acaba causando estranheza por conta daqueles que estão desacostumados a aceitar a vida em sua simplicidade, longe de bens materiais. Logo, o pequeno Pascal acaba virando uma “chacota”, mas isso pouco lhe importa. o-balao-vermelho-foto2-citacoes-cinefilas O balão é um elemento completamente frágil e singelo, assim como a vida. Voar é perigoso. Viver é mais perigoso ainda. É se aventurar diariamente ao desconhecido; estar à mercê de coisas que não esperamos. E o que mais nos enrique é o nosso olhar diante do óbvio. Um simples balão pode ser um elemento rico de significado, mas apenas para aqueles que creem na vida e sabem valorizá-la. Pascal, te pega pela mão e te faz adentrar em seu mundo. Ele te ensina que não é precisa ter muito, o pouco é suficiente. O lugar no qual estamos é o suficiente. De nada vale o local, se não conseguimos enxergar a beleza na simplicidade. Dizem que os olhos infantis conseguem ver tudo com mais plenitude, acredito muito nisso. E às vezes me sinto triste por ver tantos adultos infelizes por não saberem enxergar que o melhor da vida é de graça.

É difícil descrever sobre O Balão Vermelho, o seu silêncio ao fim nos toma conta e só consigo sentir com os olhos e o coração. Então espero que você se apaixone também por essa obra poética:

Outros Títulos: El globo rojo (Espanha, Argentina) The red balloon (USA, UK) Il palloncino rosso (Itália) Der rote ballon (Alemanha) País: França Gênero: Fantasia, Curta Metragem Direção: Albert Lamorisse Roteiro: Albert Lamorisse Produção: Albert Lamorisse Música Original: Maurice Le Roux Fotografia: Edmond Séchan Edição: Pierre Gillette Efeitos Sonoros: Pierre Vuillemin PRÊMIOS Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA Oscar de Melhor Roteiro Original (Albert Lamorisse )  Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra Prêmio Especial (França)  Festival Internacional de Cannes, França Palma de Ouro de Melhor Curta-Metragem (Albert Lamorisse) INDICAÇÕES Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Albert Lamorisse)

Posts Relacionados