Críticas

Resenha: Deuses do Egito

Ao olharmos para um trailer épico, cheio de efeitos especiais, noções apoteóticas e uma história completamente fantástica, sentimos medo. Medo porque não é comum encontrarmos uma mistura de grandes efeitos especiais com uma boa história. E isso que ocorre em Deuses do Egito: uma série de incoerências que destroem tudo o que o filme poderia ter de bom.

É claro que o filme mostra rapidamente que se trata de uma ficção sobre a mitologia egípcia e que muitas coisas serão alteradas ao longo do caminho. Mas quaisquer que fossem as alterações, deveriam ser muito bem estudadas antes. Por conta disso, o filme que tem um potencial visual devastador acaba parecendo um grande pastelão onde inclusive as atuações não convencem, várias cenas não se justificam e, durante todo o longa, praticamente não há verossimilhança.

gods-of-egypt-personagens

Os personagens não pareciam egípcios, os deuses eram como Power Rangers, tinham até a capacidade de se transformar. O local onde os mortais e os deuses conviviam, tinha um clima muito estranho que parecia muito mais moderno do que o Antigo Egito e a quantidade de personagens brancos dão a impressão de que o reino dos deuses era na Europa… (fora o fato de todo mundo falar em inglês, sendo que a língua sequer existia na época). Não vou nem comentar sobre as piadinhas que os personagens contam entre si sem considerar a cultura local.

O fato é que o diretor Alex Proyas errou a mão, mesmo trazendo alguns nomes relevantes para compor seu casting como: Nikolaj Coster (Game of thrones) e Gerard Butler (300). O fato é que a história não convence e lembramos frequentemente que estamos no cinema, vendo um filme. Lembramos que o filme demora para acabar. Vemos um deus da sabedoria errando um enigma três vezes e os outros deuses se apresentando como incapazes.

gods-of-egypt-director-apologizes-for-lack-of-diversity

Claro que há pontos positivos como o figurino que está impecável. As roupas que os deuses usam são muito bonitas e suas cores causam uma harmonia bastante interessante entre os personagens e suas características pessoais. Talvez você não saiba o nome de todos os deuses do Egito de cabeça, mas não tem problema, você saberá quem é quem se observar as roupas.

Outro ponto positivo, que inclusive citamos ao início do texto, são os efeitos especiais que auxiliaram bastante nas lutas e em várias situações de movimentos rápidos. Por outro lado, você não precisa ser um expert para “enxergar” os exageros dos efeitos especiais.

“Deuses do Egito” é um filme para os que conhecem pouco ou quase nada da cultura egípcia. Não que as pessoas sejam obrigadas a saber, mas as mudanças e alterações planejadas pelo roteiro deste longa, serão incômodas aos que gostam da cultura e seus mitos, fora isso a obra é perfeitamente dispensável. Uma pena.

1estrelas
Título Original: Gods of Egypt
Ano: 2016
Roteiro:
Burk Sharpless
Matt Sazama
Direção: Alex Proyas
Estreia: 25 de Fevereiro de 2016
Duração: 127 minutos
Gênero: Aventura Fantasia
Países de Origem:
Austrália
EUA
Distribuição: Paris Filmes

Posts Relacionados