Especial

Um balanço do Oscar 2016

Ah, o que foi esse Oscar 2016? Nos rendeu memes sensacionais. Antes mesmo de iniciar, Gaga e Léo já nos mostrava que essa seria a edição mais zuera de todas. E quem riu por último foi o Leo.

Mas até que a Gaga estava bem glamourosa com seu piano e microfone branco. Lembrava o show da Xuxa. A Xuxa cantava com um microfone branco e com gliter.

gaga-Oscar-2016

Mas a grande estrela da noite foi a Glória Pires. Ela não sabia nada, não viu nada, não sabia comentar nada. Ela confundiu “O Regresso” com “O Retorno”. E não viu nenhum filme indicado, apenas o documentário “Amy”. Nem Divertida Mente ela viu. Ai, miga, o Oscar de melhor da noite vai para você.

post_Gloria

E FINALMENTE LEONARDO DICAPRIO levou o Oscar. Vamos brindar! >> Acompanhe aqui a sua saga <<

E vocês vão ter que comparecer a esse evento ai:

evento_DiCaprio_oscar

O mais irônico é que ano que vem nem poderemos comemorar essa data porque ela “teoricamente” só existe de 4 em 4 anos. Será que foi uma ilusão?! Melhor não pensar sobre isso, né?

E obviamente “O Regresso” abocanhou o prêmio de melhor diretor, melhor fotografia, melhor ator e não o de melhor filme. Ironias do Oscar? É um filme desenhado para o Oscar. Acho que ele foi feito para o DiCaprio levar o Oscar, na real. Há teorias conspiratórias em torno disso. Em opinião própria eu daria ambos os prêmios a “O Quarto de Jack”, por achá-lo mais completo em todos os sentidos e um ter roteiro maravilhoso.

Diretor-O-Regresso

E a vida é tão zuera que até Emmanuel Lubezki, diretor de fotografia de “O Regresso”, já levou três estatuetas para casa e DiCaprio levou a sua primeira hoje.
Emmanuel-Lubezki

Mas a noite não foi feita só de alegrias, Sylvester Stallone ficou sem palavras com esse Oscar cedido a Mark Rylance para “Ponte dos Espiões”. Quem é Mark Rylance na fila do pão? Tudo bem que particularmente estava torcendo para Mark Ruffalo, mas até aí dar para Rylance, a vida perde o total sentido.

Rocky

#SOMOSTODOSROCKY

Passada essa depressão, vem outra. Tudo bem que “O Quarto de Jack”, na nossa opinião, merecia o Oscar de “Melhor Filme”, mas de “Melhor Atriz” para Brie Larson, não né? Todo o sucesso está em torno do pequeno Jacob Tremblay, ela é apenas coadjuvante. Essa era a categoria mais difícil. Tínhamos uma Cate Blanchett rainha ímpar. A delicadeza de Charlotte Rampling e a atuação brilhante de Saoirse Ronan (o nome mais difícil do Oscar). E Jennifer Lawrence como o patinho feio da categoria. Acho que a indicaram porque já estão acostumados com a sua presença em premiações e seus micos que rendem memes bacanas, porque “Joy” é horrível e até a Glória Pires conseguiu opinar nessa:

“Eu não entendi nada desse filme” (Pires, Glória sobre Joy)

Brie-Larson-O-Quarto-de-Jack

Mad Max levou todas as categorias técnicas possíveis. MERECIDAMENTE!
A Glória Pires quase que não soube lidar, mas deu graças a Deus que era o mesmo filme em cinco categorias, assim ela podia dizer que não assistiu logo de cara e ninguém a perguntaria mais nada sobre o filme.

Mad-Max

O filme levou o Oscar nas seguintes categorias:
Melhor mixagem de som
Melhor edição de som
Melhor montagem
Melhor cabelo e maquiagem
Melhor design de produção
Melhor figurino

E como todo ano existem as zebras…

zebra--steel

Este ano foram duas: “Ex Machina” que levou efeitos visuais, uma categoria que estava bem inclinada a “Mad Max” ou “Star Wars”. Acompanhando a zebra do ano, “Spotlight: Segredos revelados” levou a estatueta em melhor filme. Oi? É, melhor filme. É um filme bom, mas entre os candidatos “O Quarto de Jack” e “Brooklyn” me pareciam filme mais completos, porém, dificilmente ganhariam um Oscar (pouco Hollywood demais para a Academia), mas as apostas estavam altas em “O Regresso”.

O talentoso Ennio Morricone FINALMENTE levou a estatueta para casa (ele e o Leo irão comemorar até altas horas hoje), aos 87 anos de idade, com melhor trilha sonora no filme “Os 8 Odiados”.
Ennio-morricone

E se Alicia Vikander (o outro nome difícil do Oscar) não tivesse sido premiada por seu lindíssimo papel em “A Garota Dinamarquesa”, podia até tirar o Oscar do Léo e votar tudo de novo, porque algo estaria errado.

Alicia-Vikander

O mesmo para o documentário “Amy”. Maravilhosamente uma homenagem a ela que era muito mais que uma cantora viciada, descontrolada. Uma mulher de respeito e caráter que só queria ser ouvida e não julgada.

amy-winehouse-renew

E vamos finalizar dizendo que, apesar de a animação brasileira “O Menino e o Mundo” não ter levado o prêmio máximo para casa, a indicação ao Oscar fez com que o cinema nacional ganhasse um alcance enorme. Poder bater no peito e concorrer com os melhores da área, é bater no peito e dizer: “Somos bons” e isso é a nossa maior vitória.
O prêmio ficou com “Divertida mente” e já era de se esperar. A animação é sensacional e o Oscar foi merecidamente.

Posts Relacionados

  • Jéssica Uchôa

    Amei o resumão!!! <3