Domingo Deprê Sessão Cinéfila

(500) Dias com Ela – Summer não é vadia. Apenas sincera.

Assisti (500) Dias com Ela algumas vezes, talvez até mais do que eu gostaria. E sempre ouso dizer “Summer é uma vadia”. Na verdade, não. O filme só se baseia no ponto de vista de Tom, talvez por isso seja mais fácil julgar Summer. Mas as vezes podemos ser Tom (Joseph Gordon-Levitt) ou Summer (Zooey Deschanel) em um relacionamento. Ou até os dois.

É fácil simpatizar por Tom. Um cara sensível, bacana, carente. Que parece estar permanentemente dizendo “me leve para casa e me ame”. Como então dispensar esse cara, que poderia ser perfeito para qualquer mulher? Mas não para Summer.

Tom acha que a culpa do amor é da cultura pop, das músicas românticas e dos filmes com finais felizes, que o faz acreditar que também lhe cabe. Mas se esquece que as relações são muitos menos roteirizadas.

A culpa, na verdade, é de suas altas expectativas que o faz acreditar que Summer um dia mudará de ideia e que acordará perdidamente apaixonada por ele. Mudando todo seu estilo de vida e opiniões. Torcendo para que ela nunca vá embora.

Os relacionamentos não são determinados por regras ou escalas de ajustes, em que estar apaixonado por alguém resulta em um amor correspondido e duradouro. Essa coisa de amor é mais difícil que física quântica, com zeros garantias e sem promessas aos merecedores.

Summer é a exata representação dessa negativa. Ela é só a garota que deixou claro que não queria relacionamentos, a partir daí é só expectativa do Tom, que enxerga sinais que mudanças onde não existem. Buscando certezas que ninguém pode lhe dar.

“Só porque uma garota bonita gosta das mesmas coisas bizarras que você, isso não a torna sua alma gêmea”.

As vezes você é a pessoa que sofre desesperadamente por alguém que não sente o mesmo que você. Em outras você está do outro lado e não quer machucar ninguém, só ser sincero e esperar que você não saia dessa como sendo um filho da puta ou uma vadia.

Não sei se existe amor à primeira vista ou alma gêmea. Talvez só exista de você acordar um dia e ter certeza de algo que nunca teve. E aí, você está pronto para aquele relacionamento. Torcendo para que a outra pessoa sinta o mesmo.

As vezes você é o Tom de alguém. As vezes a Summer de alguém e as vezes a mesma pessoa ao decorrer dos 500 dias. E isso não faz de Summer uma vadia. A faz real. Aceitar isso pode demorar. E se apaixonar pode ser um jogo de sorte bastante dolorido.

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: