Domingo Deprê

‘Blue Jay’ um ensaio dos amores deixados para trás


Eu não havia ouvido falar de Blue Jay. Ele não havia sido para mim recomendado. Foi um encontro ao acaso. Eu amo o acaso. Mas não é um acaso bom para todos. Alguns a quem indiquei, acharam chato e arrastado. Mas, eu o acho belo e sincero. Ainda não consegui decidir quem tem razão.

Talvez seja um filme para as pessoas com sensibilidade elevada – sem querer rotular nada – ou talvez seja para as pessoas sensível demais – sem também querer rotular nada. Ou talvez você goste ou não e ponto.


Ele é em preto e branco. Acho que porque a melancolia e a nostalgia quando juntas são ausentes de cor. Como se as cores fosse uma fácil distração da felicidade. “Olha ali, aquele amarelo é tão feliz”. O preto e branco aqui reforça e enaltece os diálogos. E te tira das distrações não necessárias.

Jim (Mark Duplass) e Amanda (Sarah Paulson) são agora dois adultos. Adultos chatos, infelizes, como são quase todos os adultos – com raras exceções. Mas na adolescência eles eram dois apaixonados felizes – como são quase todos os adolescentes.

Se passarem vinte e quatro anos para novamente eles se encontrarem e o curioso é que parece ter se passado somente 24h.


É data festiva (sei lá qual) e eles estão visitando a cidade. Vinte e quatro anos. Eles podiam simplesmente dizer “oi, como vai?” e seguir a vida. Mas decidem conversar. Desvendar os rumos da vida. Saber se o futuro tinha sido gentil, se os sonhos haviam concretizado, se a família perfeita já tinha batido a porta e a vida fosse perfeita.

É claro que toda vez que se visita o passado algo é encontrado. É impossível fazer essa viagem e sair ileso. Ter que lidar com isso é parte da consequência inevitável.


Quando adolescente, ao encontrar o grande amor da vida, acreditamos que só se acha isso (ser aquele o grande amor da vida) por que somos adolescentes e tudo é tudo demais – a maioria das vezes é mesmo. Mas nunca sabemos. Talvez você passe por muitos amores tentando encontrar o primeiro. Talvez o primeiro tenha sido somente o primeiro. Seja qual for, é preciso seguir em frente.

A direção dessa lindeza é de Alex Lahmann, que recentemente estreou seu novo longa Paddleton, outro filme bonito demais. Esse cara é sensível pra caralho. É bonito demais.

Trailer – Blue Jay

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: